Na maioria das vezes gosto de ficar na minha concha.

Acredito que se não incomodar ninguém, tudo ficará bem.

A minha concha é maravilhosa pois nela tenho tudo que preciso, ou quase tudo.

Ela me protege porque lá fora é muito perigoso. Não sei muito bem como é o mundo, só sei que é perigoso. Então, tenho e levo algumas coisas  guardadas comigo. Elas são o suficiente. Mesmo que eu precise de algo mais, não importa porque tenho segurança.

As vezes minha concha é pesada: machuca meu corpo e coração, me sufoca. Tenho vontade de chorar mas tudo bem...eu tenho a concha como abrigo.

As vezes queria encontrar outro caracol, quem sabe dividir o peso que carrego...mas com certeza ele deixaria cair minha preciosa concha, não confio....mas tudo bem, eu ainda tenho minha imaginação.

As vezes dou uma saidinha. Meu coração logo acelera, não consigo falar muito, eu paralisou.

Alguns confundem isso com timidez....

Aí eu volto Rapidão pra minha concha.

“Ufa, estou a salvo novamente”

caracol.jpg